Editoriais


EM TEMPOS DE "FAKE NEWS"

05/04/2019

EM TEMPOS DE

1º de Abril, o famoso Dia da Mentira, também conhecido como “Dia dos Bobos”, é uma data bem próxima ao Dia do Jornalista (07/04). Sendo assim, podemos afirmar que abril, é o mês da informação – seja falsa, criada pelos trotes do dia 1º, ou verdadeira, vinculadas em jornais e demais fontes confiáveis. Pelo avanço da tecnologia e o surgimento das redes sociais, as notícias chegam na palma das nossas mãos.

Com um clique, enxergamos qualquer parte do planeta e até mesmo fora dele. Mas, tamanha velocidade, nos joga dentro de um infinito labirinto de notícias e quando não sabemos filtrá-la, acordamos numa verdadeira “teia” de mentiras e mensagens falsas. Tendo o cenário da internet de fundo e grupos de conversas online, a propagação de notícias falsas se alastra de forma inalcançável e por isso, a função do jornalista tornou-se de suma importância para apuração e divulgação dos fatos.

Os jornais e os demais produtores dos conteúdos, como revistas, emissoras de rádio e de televisão, têm um ativo intransferível que é a credibilidade. Contudo, as pessoas estão deixando de se informar por esses meios e não criaram o hábito de checar sobre a veracidade da notícia, antes de repassá-la. No Brasil, a situação agravou-se. Na Câmara dos Deputados, já existem projetos em andamento para punir os divulgadores de “fake news” (notícias falsas publicadas por veículos de comunicação como se fossem informações reais). A tramitação de Projetos de Lei como a PL ° 7.604 de 2017, que prevê a responsabilização de provedores de conteúdo nas redes sociais, entrou em pauta e a multa seria de R$ 50 milhões no caso de a plataforma não retirar o conteúdo em até 24 horas. 

Em tempos de “fake news”, que o jornalista seja nosso grande aliado, exercendo um papel de extrema importância, tornando-se cada vez mais indispensável para o bom funcionamento de uma sociedade moderna. Além de sempre mantê-la bem informada, abrindo nossos olhos para aquilo que não se quer ver ou que já se tornou invisível. Que tenhamos bom senso e acima de tudo, que sejamos capazes de desenvolver um raciocínio crítico frente ao bombardeio de informações e que tenhamos a certeza do conteúdo ao qual estamos expondo e repassando.

A todos os jornalistas, o nosso maior respeito!

 

Por Ana Caroline
Redatora