Editoriais


LEMBRADAS POR FLORES, ESQUECIDAS PELO RESPEITO

04/07/2019

LEMBRADAS POR FLORES, ESQUECIDAS PELO RESPEITO

A violência contra mulheres constitui-se em uma das principais formas de violação dos seus direitos humanos, atingindo-as em seus direitos à vida, à saúde e à integridade física. Nas últimas décadas, a violência contra mulheres transformou-se em problema social, atualmente é objeto de políticas internacionais e nacionais no âmbito da violência doméstica.

No período de carnaval desse ano, o Espírito Santo registrou 169 crimes cometidos contra mulheres, é o estado com a maior taxa da região Sudeste e a 3ª maior no Brasil. Devido a dados como esse, nosso país ocupa o 5º lugar no ranking mundial de Feminicídio, segundo o Alto Comissariado das Nações Unidas pra os Direitos Humanos (ACNUDH).

Um dos instrumentos mais importantes para o enfrentamento da violência doméstica e familiar contra as mulheres é a Lei Maria da Penha - Lei nº 11.340/2006. Esta lei, além de definir e tipificar as formas de violência feminina, também prevê a criação de serviços especializados, compostos por instituições de segurança pública, justiça, saúde, e da assistência social. Com uma lei avançada, mas de punição lenta, os agressores e opressores não se intimidam – em 2018, uma mulher foi assassinada a cada duas horas em nosso país.

O combate às múltiplas formas de violência contra as mulheres é uma importante demanda no que diz respeito a condições mais dignas e justas para as mulheres. A mulher deve possuir o direito de não sofrer agressões no espaço público ou privado, a ser respeitada em suas especificidades e a ter garantia de acesso aos serviços da rede de luta à violência contra a mulher, quando passar por situação em que sofreu algum tipo de agressão, seja ela física, moral, psicológica ou verbal.

A violência afeta mulheres de todas as classes sociais, etnias e regiões no mundo. Atualmente a violência contra as mulheres é entendida não como um problema de ordem privada ou individual, mas como um fenômeno estrutural, de responsabilidade da sociedade como um todo. Somente com uma educação transformadora, conseguiremos coibir, punir e erradicar todas as formas de violência. O espaço escolar é preceito fundamental de um país que preze por uma sociedade justa e igualitária entre mulheres e homens.




Por Ana Caroline
Redatora