00
Dias
00
Horas
: 00
Minutos
: 00
Segundos

Nosso aluno, nosso orgulho


Jéssica Carvalho de Assis

13/02/2019

Jéssica Carvalho de Assis

Jéssica Carvalho de Assis, 27 anos, estou no CEIC da antiga 5ª série (atual 6º ano) até o Ensino Médio. Prestou vestibular para pedagogia e formou-se pela Pontifícia Universidade Católica em Belo Horizonte, Minas Gerais, sua cidade natal.

Atualmente, nossa ex-aluna mora em Portugal, prestes a concluir sua pós-graduação, Jéssica nos conta que a vontade de se tornar professora, começou quando ainda era aluna. Pelos corredores do colégio, ela vivenciou juntamente com seus professores, momentos que despertaram nela o interesse pela sala de aula e que não pretende morar fora do Brasil.

Para ela, o motivo mais importante de regresso, é a família. “Quando crescemos rodeados de amor e proteção, quando a família cumpre seu papel, não há lugar no mundo que substitua a ausência de quem amamos. Além disso, somente estando fora do Brasil para darmos valor tudo o que temos de maravilhoso no nosso país.”

Como pedagoga, Jéssica acredita que a educação no Brasil precisa romper barreiras, um trabalho contínuo, dia após dia, geração por geração. “As instituições de ensino, precisam estabelecer um elo forte entre escola > aluno > família, pois é a relação mais importante na formação de um cidadão ético. Hoje percebo como foi primordial para meu desenvolvimento intelectual e pessoal, estar dentro do CEIC. Um colégio que realiza ações para aproximação da família ao ambiente escolar e toda comunidade como um todo.”

Ao falar dos tempos de aluna, Jéssica relembra o que mais marcou durante sua passagem por aqui e o que mais sente falta ao lembrar do CEIC. “Quando estamos no colégio, achamos tudo muito chato. Acordar cedo, usar uniforme, ouvir sermão de professores preocupados com nosso rendimento, a tensão em receber o boletim na reunião de pais - ao entrarmos na universidade, isso muda e quando percebemos estamos sozinhos... Não tem pais, não tem professor amigo, não tem pedagoga que cuida com carinho, é só você. Sinto falta da convivência mais próxima com meus professores, com a equipe de funcionários do colégio inclusive os diretores. Isso se perde ao sairmos do ensino médio.”

Para nossos alunos que pretendem seguir seu caminho estudando fora, Jéssica se identifica com os que possuem o sonho de fazer um intercâmbio, mas reconhece que planejamento e base familiar precisam fazer parte de todo o processo. “E estudo, muito estudo! Ter um segundo idioma fluente, ler e estudar sobre a cultura do país que se deseja conhecer; aproveitar todas as oportunidades que contribuam para o nosso crescimento, principalmente, pessoal. Essa é a base que fortalecemos ao sair da escola e que levaremos na bagagem para vida toda, aonde formos.”