Prata da Casa


José Maria

06/09/2019

José Maria

O Prata da Casa do mês de setembro é um cara muito especial para a nossa Instituição. José Maria do Santos, completou em 2019, 25 anos integrando a equipe CEIC e no próximo dia 10, comemorará mais um ano de vida. Em tantos anos dedicados ao atendimento na recepção do Colégio, Tio Zé (como é chamado por todos carinhosamente), coleciona momentos e histórias que ultrapassam gerações e nessa entrevista, ele abre seu baú de memórias nos convidando para uma nostálgica viagem no tempo.

1 – Como foi a sua chegada no Colégio CEIC?
Cheguei ao Colégio em 1994, foi o início do Ensino Médio na escola e precisavam de um porteiro para auxiliar a entrada e saída, já que o fluxo de alunos e funcionários estava aumentando. Somente na portaria, foram 13 anos recebendo pais, alunos, professores e funcionários.

2 – Nesses 25 anos vestindo a camisa do Colégio, qual a melhor lembrança?
Sem dúvida, as pessoas! Tantos profissionais que aqui passaram, equipe administrativa, professores, auxiliares, pedagogos, diretores, alunos, pais de alunos, avós, tios, irmãos, amigos dos alunos, muitas pessoas passaram por esses portões ao longo dos anos. Muitas voltam, ex-alunos com filhos, avós de alunos que também foram pais de alunos, ex-alunos que passam pela rua e param para nos cumprimentar, as pessoas são a minha melhor lembrança. E são essas pessoas que transformaram o Colégio CEIC e o Dentinho de Leite em uma grande família.

3 – Qual espaço da escola você mais gosta?
O Colégio CEIC é um todo, é difícil separar um lugar, porque tudo está conectado. Mas, confesso que a portaria tem o seu espaço especial na minha vida. É na portaria que comecei, que tive a oportunidade de fazer parte da escola, é a “entrada e a saída”, ou melhor, é aonde tudo começa. Tenho um enorme carinho por este setor.

4 – Como se sente trabalhando na área da Educação?
Me sinto realizado. Tantos anos trabalhando no Colégio, vendo a Educação acontecer, que não me permiti acomodar. A Educação foi a área que me incentivou a aprender mais, fiz o curso de Pedagogia para me manter atualizado, foi uma grande oportunidade para que eu aprendesse na teoria, o que sempre vi acontecendo na prática.

5 – Da sua chegada em 1994 até os dias de hoje, muita coisa mudou?
A maior mudança, foi a chegada da tecnologia. No início dos anos 90, não tinha carteirinha de estudante, a chamada era na pauta e cada professor andava com a sua lista de chamada. Hoje a presença dos alunos é computada na catraca eletrônica, a era da internet foi revolucionária, no início fiz um curso até um “curso básico de informática”, logo que os computadores começaram a invadir os espaços. Antes da chegada dos celulares e eletrônicos, tinha um orelhão no pátio da escola, hoje não existe mais. A minha portaria está mais bonita (risos), ficou moderna e é um espaço agradável para as pessoas que chegam. Além do meu setor, eu também mudei, o tio Zé está ficando velho, com “alguns” cabelos brancos!

6 – Deixe uma mensagem aos nossos alunos e colegas de trabalho.
Ao longo desses 25 anos, plantei boas sementes e hoje colho responsabilidade, respeito, carinho e amor por todos que fizeram ou fazem parte do Colégio. Sinto muita alegria em ver o crescimento do Dentinho de Leite e do CEIC e aos que conheci exercendo minha função dentro do Colégio, compartilho essa mensagem de William Sanches. “A vida muitas vezes pede mudança e para isso, é preciso abandonar velhas atitudes e construir novos hábitos para alcançar a realidade que se deseja”.

Tio Zé, o Colégio CEIC sente-se honrado em tê-lo como parte da equipe.
A você, toda a nossa admiração e os nossos sinceros agradecimentos.


VEJA AS FOTOS

Clique na imagem para amplia-la